top of page
  • Foto do escritorMatheus Telka Gonçalves

Acidente em RM com brinquedo adulto: FDA alerta sobre aumento de acidentes.





"Um recente relatório de evento adverso arquivado pelo FDA (Food and Drug Administration) dos EUA detalha um acidente de ressonância magnética envolvendo um brinquedo sexual e um paciente.


De acordo com o relatório, o evento ocorreu em 7 de abril. A paciente envolvida no acidente foi examinada para metal antes de passar por sua ressonância magnética, mas não revelou a presença de um "plugue anal". Importante destacar que não temos mais detalhes sobre a forma que foi examinada e se um detector de metais foi usado.


A paciente foi para a ressonância magnética e completou seu exame; no entanto, o problema apareceu quando o técnico foi retirar a paciente do magneto.


“Ela foi fazer a ressonância magnética e, quando a ressonância magnética acabou e o técnico estava puxando a mesa, a paciente começou a gritar”, diz o relatório. “A paciente afirmou que sentia náuseas, estava com dor e parecia que ia desmaiar."


O relatório não revelou se o paciente sofreu ferimentos, mas indicou que a equipe chamou uma ambulância e a paciente foi transportada para um hospital próximo.


Existem inúmeras postagens nas mídias sociais sobre o incidente, cada uma delas divulgando diferentes versões do evento. Existe até uma imagem supostamente da paciente após o acidente, mas não há confirmação de que a imagem em questão seja legítima. Também deve ser notado que as tentativas do FDA de entrar em contato com a paciente para acompanhar seu caso não tiveram sucesso. "


Uma das postagens trazia o seguinte:

Uma postagem no Twitter que parecia mostrar uma varredura de um plugue anal que causou “ferimentos graves” alojados no alto do corpo de alguém como resultado de uma ressonância magnética se tornou viral, sem dúvida fazendo muitas pessoas se contraírem no processo.
Na postagem do usuário do Twitter @BradiusZero, ele explicou por que você deve “nunca usar um plugue anal em uma visita a ressonância magnética” e compartilhou uma imagem de uma varredura que parecia mostrar um plugue anal alojado na cavidade torácica de uma pessoa.
Ao lado da imagem, uma mensagem de texto separada dizia: “O maior caso de lesão corporal que já ouvi. Um advogado de prestígio do Vale, pegou um cliente que está processando uma empresa de brinquedos sexuais. O referido cliente comprou um plug anal que foi anunciado como '100% silicone'


A postagem foi visualizada 10,8 milhões de vezes, com muitos especulando sobre o que estava acontecendo lá.



"Este último incidente é um dos vários acidentes graves de ressonância magnética que foram relatados este ano. Em janeiro, um homem que acompanhava sua mãe ao exame de ressonância magnética levou uma bala no abdômen quando o ímã fez com que sua arma disparasse involuntariamente, e outro envolveu uma enfermeira presa entre o ímã e uma maca após transportar um paciente para a sala de ressonância magnética.



  • Confira aqui o post sobre o fakenews envolvendo arma de fogo.

  • Clique aqui para ler sobre o acidente com o advogado baleado.


Muitos especialistas na área estão preocupados que a frequência desses acidentes continue a ocorrer à medida que a tecnologia de ressonância magnética muda. Isso levou a um apelo por medidas de segurança de ressonância magnética mais padronizadas de fornecedores e pacientes.


O relatório de eventos adversos da FDA pode ser visualizado aqui . "


Confira a baixo alguma medidas de segurança para evitar que esse tipo de acidente se repita.



O ponto número 1 e mais fundamental é o TREINAMENTO de todos que podem ter qualquer relação com o setor de RM. Pessoas treinadas sabem o que estão fazendo e cuidam delas e do seu entorno para que problemas não ocorram.


Desta forma


Capacitar, capacitar e capacitar!!!


O melhor a fazer é revisar todos os processos do setor, padronizar o atendimento com políticas e rotinas institucionais para as medidas de segurança e capacitar à todos. E as seguintes ações precisam também ser estabelecidas:

  1. Orientar pacientes e acompanhantes sobre os riscos do ambiente de RM e fazê-los ler e assinar termos de consentimento informado e pesquisa de segurança em RM antes de adentrar o setor de RM ou a chamada Zona III;

  2. Orientar o paciente e qualquer acompanhante quanto a retirada de qualquer metal do corpo ou objetos soltos, guardando os mesmos em um armário fechado. O paciente deve retirar toda sua roupa e usar uma vestimenta fornecida pelo serviço para realizar seu exame de forma segura;

  3. Vistoriar os pacientes e acompanhantes com um detector de metais antes da entrada na sala de exames (zona IV). Este é ainda um procedimento pouco frequente, até porque a legislação atual (IN 97 da ANVISA) só diz que é preciso ter um detector de metais no setor, mas não diz que é preciso ter um procedimento de uso do mesmo para com todos antes de entrar na sala de exames.


Infelizmente, muito dos novos cuidados de segurança aparecem após o acontecimento de acidentes como os trazidos neste texto. Torna-se fundamental uma revisão periódica das políticas de segurança da instituição bem como do formulário de anamnese de segurança do paciente, visando sempre estar o mais completo possível e com uma linguagem mais fácil e explícita possível ao paciente.



Fontes:


Traduzido e adaptado de:




Comentarios


bottom of page