top of page
  • Foto do escritorAlessandro A. Mazzola

O papel essencial dos radiologistas no tratamento do câncer de próstata

Com mais de 15 anos de experiência, o Dr. Antônio Westphalen considera o radiologista um profissional fundamental no tratamento de doenças como câncer de próstata.


Em entrevista para o site da Universidade da Califórnia - São Francisco (UCSF), onde atua como professor e diretor do setor de RM de próstata, do departamento de Radiologia & Clínica de Imagem Biomédica da UCSF, o Dr. Westphalen falou do envolvimento não tão evidente do profissional de radiologia em diversas etapas do tratamento oncológico. Segundo ele, é importante que os pacientes se deem conta da diversidade de profissionais envolvidos no tratamento.


"Trabalhamos nos bastidores — nosso rosto não é necessariamente visto pelos pacientes — mas estamos presentes. Geralmente, eles interagem com o urologista, um radio-oncologista ou um oncologista clínico, contudo há um grande grupo [envolvido em seu tratamento]. Somos uma das partes deste time e atuamos em diferentes momentos."

Apesar de existirem diversos caminhos para diagnosticar e tratar o câncer de próstata, ele ressalta que a trajetória é semelhante na maioria dos casos: a princípio, o paciente faz um ultrassom (pela acessibilidade) e, posteriormente, uma ressonância magnética para obter imagens mais precisas.


Dr. Westphalen destaca que com o avanço tecnológico na área da RM, mais maneiras de identificar o câncer de próstata estão surgindo, com potencial de detecção cada vez mais precoce da doença. Além disto, existem oportunidades futuras de aumentar a atuação da RM no tratamento, de forma a mitigar seus efeitos, melhorando o conforto dos pacientes ao diminuir o número de biópsias de acompanhamento, por exemplo.


Para ler o artigo completo, acesse:












Commentaires


bottom of page