top of page
  • Foto do escritorAlessandro A. Mazzola

A Gigantesca Contribuição do Professor Jim Hutchison para a RM

Atualizado: 28 de abr. de 2020

Em 04 de setembro de 2018 falecia o professor James (Jim) Hutchison, professor emérito e um dos mais importantes pesquisadores da Universidade de Aberdeen, Escócia.


Entre suas contribuições está a participação na criação do primeiro equipamento de RM de corpo inteiro (Mark I) e no desenvolvimento da sequência de pulso Spin Warp, a qual permitiu qualidade de imagem em tempos curtos e mostrou que a RM poderia ser usada para a rotina clínica em pacientes.


Professor Jim Hutchison e o eletromagneto Mark I.

Mark I


Produzido em 1979 pela Oxford Instruments, esse eletromagneto operava com um campo estático de 400 gauss (G) ou 0,04 tesla (T) com uma frequência para os prótons de hidrogênio de 1,7 MHz. O orçamento para construção do equipamento ficou em torno de 30.000 libras esterlinas (convertendo e atualizando, seriam hoje cerca de 150.000 libras esterlinas ou o equivalente a aproximadamente 800 mil reais) e apesar desse valor ser considerado modesto o grupo de Aberdeen levou cerca de 18 meses para obter o fundo após o projeto ser enviado para o MRC (Medical Research Council do Reino Unido).


As bobinas horizontais circulares eram responsáveis pela produção do campo estático. As bobinas de gradiente estavam divididas entre as que localizavam anteriormente e posteriormente e latero lateral no cilindro que fica em torno do paciente (vide foto abaixo). Já a bobina de gradiente responsável pela seleção de corte é a que aparece como um retângulo branco na parte superior e inferior ao nosso "paciente" da foto.


Jim Hutchison em 1979 servindo de cobaia para o Mark I.

Spin Warp


O grande problema no início da geração de imagens de RM era a grande presença de artefatos de movimentos (respiração, batimento cardíaco, peristaltismo etc) relacionados a tempos muito longos de aquisição. Ou seja, para ser possível obter imagens clínicas de RM do corpo, especialmente do tórax e abdome era preciso um método novo. Importante lembrar que o crânio na época estava sendo bem visualizado pelo Tomógrafo Computadorizado de Hounsfield. Numa publicação em maio de 1980 na revista Physics in Medicine and Biology, Edelstein, Jim Hutchison, Johnson e Tony Redpath descrevem técnica de RM chamada de "Spin Warp".


Sequência de pulso Spin Warp mostrada no artigo original de Maio de 1980 (vide referências).

Jim (James) Hutchison


Ele era um cara do bem e pensava nas pessoas. Ele nos deixou, mas o seu legado é permanente e ficará para sempre. Fica aqui a nossa homenagem a essa pessoa tão querida e importante tanto para nós como para a RM.


Jim Hutchison com a sua esposa Margaret Hutchison.
O professor ao lado de Alessandro Mazzola, que estava comemorando o seu aniversário no final do curso de RM em 2004 na Universidade de Aberdeen.

Sentiremos saudades porfessor. Lembraremos de você em cada gradiente de campo aplicado ou espaço k preenchido.


Pesares de toda a equipe MRIONLINE!


Referências:


Edelstein WA, Hutchison JMS, Johnson G, Redpath T. Spin warp NMR imaging and applications to human whole-body imaging. Phys Med Biol 1980; 25:751-6.


https://www.ismrm.org/MRPulse/V3Issue12014/Edelstein.htm


https://www.auntminnieeurope.com/index.aspx?sec=sup&sub=mri&pag=dis&ItemID=616360


http://mriquestions.com/spin-warp-imaging.html



Comentários


bottom of page